Author bio

Gonçalo Cadilhe

Gonçalo Cadilhe - book author

Gonçalo Cadilhe é um viajante, jornalista e cronista português. Cadilhe nasceu na Figueira da Foz em 1968 e é licenciado em Gestão de Empresas. Viajar é a sua paixão e nos últimos anos esteve envolvido em vários projectos pessoais em colaboração com o jornal Expresso. O viajante português lança as crónicas das suas experiências por esse Mundo fora e publica-as semanalmente na revista Única.

As crónicas das suas viagens foram posteriormente publicadas em livro, de que são exemplo Planisfério Pessoal, A Lua Pode Esperar, África Acima e Nos Passos de Magalhães[1].

Para além disso é cronista também nas revistas portuguesas Blitz e Surf Portugal.

Uma das suas paixões é o surf, que pratica regularmente.

Desde 2008 Gonçalo Cadilhe é líder de viagem da agência Nomad - Evasão e Expedições

Gonçalo Cadilhe is the author of books: Planisfério Pessoal, África Acima, 1 KM de Cada Vez, O Mundo É Fácil - Aprenda a Viajar com Gonçalo Cadilhe, A Lua Pode Esperar, Encontros Marcados, Nos Passos de Magalhães, Um lugar Dentro de Nós, No Princípio Estava o Mar, Tournée


Author books

#
Title
Description
03
Não há maior liberdade do que viajar ao sabor do tempo.

Neste novo livro de textos inéditos, o viajante apresenta ao leitor as suas impressões sobre as suas mais recentes andanças. Durante quinze meses, andou sem pressas e sem datas por destinos tão fabulosos e longínquos como as Galápagos, o Sudeste Asiático, a América Central, a África Austral, a Polinésia, as Caraíbas ou a Oceânia.

E, de terra em terra, entre um abraço e uma despedida, Gonçalo Cadilhe partilha com o leitor os encontros, os lugares, as leituras, os contratempos e as alegrias de uma viagem em slow-motion pelas estradas de um planeta sem segredos para o viajante mais determinado da actualidade.
04
Desde há cinco anos que as viagens de Gonçalo Cadilhe apaixonam os leitores. Desta vez, e porque a sua experiência assim o permite, o viajante-escritor mais popular da actualidade apresenta um guia de viagens único e imprescindível que se vai revelar da maior utilidade na mala de qualquer turista ou viajante mais, ou menos ousado. Aqui partilha com o leitor as dicas para a viagem perfeita e inesquecível. Sozinho ou acompanhado, antes de partir, durante e no final da viagem, saiba o que pode encontrar, o que é fundamental levar. Seja por três dias ou seis meses aprenda todos os pormenores sobre a arte de bem viajar. Tranquilo ou radical, aqui ou no Extremo-Oriente, este é o guia que não pode deixar de fazer parte da bagagem da sua próxima viagem.
05
In these chronicles about his travels, Gonçalo Cadilhe tells us all about his adventures, setbacks, underdevelopment, culture shock, meeting people, getting together with old friends, corruption, sheer beauty, solidarity and faith in a better world. All around the world, through the 5 continents.People tell him "You've gone everywhere but to the moon...". But for Cadilhe, all that matters is down here, on earth: "The Moon Can Wait" (translation of the portuguese title).
For those who like travel literature, a fabulous portuguese author whose simplicity and down-to-earth smile makes you want to grab a backpack and just go...
06
Quando se junta na mesma pessoa o viajante, o escritor e o supersticioso - daqueles que acredita, no destino, mas só depois de ele ter acontecido - qual é o resultado?

Gonçalo Cadilhe revela agora alguns dos momentos marcantes que o ajudaram a definir a sua carreira de viajante, a sua vida de espírito livre e o mundo em que se move. São os encontros marcados pelo destino e com os quais o autor nos surpreende numa colecção de textos luminosos, sobre tudo o que nos pode acontecer a viajar pelo mundo; ou em casa a ler sobre esse mundo; ou na vida, quando crescemos, e só mais tarde, ao olhar para trás, percebemos a marca que deixou.

Neste livro, Gonçalo Cadilhe repercorre lugares, livros, filmes, canções, pessoas e momentos que fizeram dele o ser humano - e o viajante - que é hoje. Um livro pessoal, inspirador e indispensável para todos os que gostam de viajar - pelo mundo e dentro de si próprios.
07
Fernão de Magalhães é famoso em todo o mundo. A sua vida dava para um livro. E para uma viagem. Nos Passos de Magalhães faz as duas coisas: um livro de viagens que tem como fio condutor a vida de Fernão de Magalhães.

De Lisboa às Filipinas, da Micronésia à Patagónia, de África a Insulíndia, Gonçalo Cadilhe construiu uma biografia itinerante do primeiro europeu a chegar ao Pacífico e reconstruiu a viagem realizada há 500 anos, a primeira a volta do globo.
Nos Passos de Magalhães é a história de lugares mágicos contada pelos olhos de um viajante moderno. Ao mesmo tempo que nos guia pela Lisboa dos Descobrimentos, pelas ruas de Sevilha, pelas fortalezas no Índico ou pelas tribos da Patagónia, Gonçalo Cadilhe reinventa a viagem de um homem que conquistou o seu lugar no mundo. E provoca no leitor o desejo de partir.
08
Gonçalo Cadilhe é o autor deste livro e desta nota biográfica. Sou eu, portanto. Viajar pelo mundo e escrever sobre ele é a minha profissão. Sou um trabalhador dedicado e assíduo e em vinte anos nunca faltei um dia ao emprego. Tenho mais de 40 anos e amo Portugal — de preferência de longe e explicado a estrangeiros. Acredito no comboio, na bicicleta, no barco, na conversa, no copo de vinho e em outros meios de transporte que levam longe mas não têm pressa de chegar.

Nasci e cresci na Figueira da Foz, onde ainda vivo com a minha mulher e o meu filho. Dito desta maneira, parece que nunca saí da minha cidade. Não é verdade, mas mesmo que fosse bastavam algumas das reflexões que deixo neste livro para que me sentisse plenamente feliz com as viagens que nunca fiz.
09
No Princípio Estava o Mar é um convite a aproveitar o oceano, a desfrutar plenamente a Natureza e a vida ao ar livre, a dar corda livre aos sonhos de errância e aventura, a não deixar para amanhã o que se pode viver hoje. «A melhor coisa num dia de ondas más é recordar-me a mim mesmo num dia de ondas boas. Com um véu de saudade, com a noção de que a vida escapa como água na concha das mãos, sentindo que o corpo envelhece e o tempo não perdoa.» No Princípio Estava o Mar apresenta um conjunto de textos que Gonçalo Cadilhe escreveu ao longo de vários anos sobre a sua paixão pelo surf e pelas viagens. Os textos revelam o prazer no contacto com o mar e com a natureza em geral e, finalmente, com a ideia de viajar e correr mundo – interior e exteriormente. Inicialmente escrito de surfista para surfista, No Princípio Estava o Mar acabou por se tornar um livro de culto não apenas para corredores de vagas mas também para namoradas cúmplices, pais perplexos, professores coniventes e outros segmentos da sociedade fascinados com a alegria contagiosa de descer uma onda, em particular, e de viajar, em geral.

Esta edição apresenta uma selecção cuidada de fotografias do autor e inclui textos actuais que testemunham o seu envolvimento permanente com o oceano
10
Trata-se de um conjunto de crónicas - a maior parte já publicadas em livros anteriores de Gonçalo Cadilhe - divididas em "quatro pontos cardeais subjectivos", como explica o autor e viajante:
- O que abre o livro, Ocidente, recolhe as viagens que efectuou "pelos territórios descobertos por Colombo, as suas ‘Índias’, todo o pedaço de planeta que resultou da empresa colombiana", a América Latina;
- O Sul, "tudo o que nos está a Sul, e que vem precisamente do chamado ‘sul do mundo’ quando se quer falar das suas regiões mais miseráveis", África;
- Oriente "é … oriente. Como dizia o título de um divertido filme paquistanês (…) ‘east is east’";
- Norte, que "aparece aqui como o contrário do sul: as regiões do mundo onde reinam a opulência, o supérfluo, um desmesurado bem-estar material jamais alcançado antes na História".

Para Gonçalo Cadilhe, o seu Norte é o mundo ocidental, pelo que o livro termina no mundo ocidental. "É tempo de voltar a casa", escreve.